Use este identificador para citar ou criar um link para este item: http://hdl.handle.net/123456789/1820
Título: Caracterização das espécies de Leishmania em amostras biológicas de pacientes com Leishmaniose Tegumentar Americana avaliados em sete unidades de saúde e estudo da fauna flebotomínica em áreas de três municípios do estado de Rondônia
Autores: Aprígio, Cesarino Junior Lima
Jardim, Izaltina Silva
Palavras-chave: Leishmaniose
Leishmania
PCR
Flebotomíneos
Data de publicação: 2013
Citação: APRÍGIO, Cesarino Junior Lima. Caracterização das espécies de Leishmania em amostras biológicas de pacientes com Leishmaniose Tegumentar Americana avaliados em sete unidades de saúde e estudo da fauna flebotomínica em áreas de três municípios do estado de Rondônia. Tese (Doutorado em Biologia Experimental). Programa de Pós- Graduação- Doutorado em Biologia Experimental (PGBIOEXP) da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) 141p. Porto Velho, 2013
Resumo: A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA), no Estado, é a segunda enfermidade causada por protozoário com maior número de casos notificados, atrás apenas de Malária. Rondônia é o terceiro estado da região norte e a oitava Unidade Federativa do país com maior número de casos de LTA, tendo apresentado no período de 2000 a 2010 uma média de 1427 casos anuais, distribuídos nos 52 municípios. Tem-se a hipótese que a doença, no estado, seja causada pelas espécies L. (V) braziliensis, L. (V) guyanensis, L. (V) naiffi, L. (V) lainsoni ou L (L) amazonensis. Os estudos realizados no Estado identificaram mais de 100 flebótomos, dentre os quais se observou a presença de vetores potenciais para transmitir outras espécies de Leishmania. Contudo, a distribuição das leishmanias e dos vetores responsáveis pela transmissão deste agente é pouco conhecida. Portanto, objetivo do trabalho foi identificar e caracterizar as espécies de Leishmania causadores de LTA e seus potenciais transmissores no estado de Rondônia. Para isto, foram selecionadas lâminas coradas com material de lesões de pacientes com LTA, oriundas de sete unidades de saúde. Além disso, no município de Porto Velho, foram realizadas coletas de amostras nas lesões (escarificado e punção intersticial) de pacientes com suspeita clínica da doença, para posterior realização do exame parasitológico direto em lâmina (PDL), inoculação em camundongos Balb/c e em meio de cultura bifásico para isolamento e produção de biomassa. Extraiu-se o DNA de todas as amostras positivas no PDL, cultura e inoculação em camundongo. Posteriormente, o produto extraído foi submetido à Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) utilizando iniciadores para os alvos kDNA, ITS-1 e HSP70-p4. Em seguida, foi realizada a identificação das espécies através da PCR-RLFP e sequenciamento genômico. As capturas de flebotomíneos foram realizadas nos municípios de Porto Velho, Candeias do Jamari e Guajará-Mirim. Armadilhas tipo CDC foram colocadas no período de 18:00 às 06:00 horas. Os flebótomos coletados foram mortos, separados e acondicionados em tubos com álcool a 70% até a realização da identificação por meio da chave taxonômica de Young & Duncan (1994). Das 240 amostras avaliadas no estudo, 86,96% pertenciam a pacientes do sexo masculino. A forma clínica predominante foi cutânea (98,26%), tendo maior distribuição nos membros inferiores. No diagnóstico laboratorial 75% das amostras foram positivas em pelo menos uma das PCRs, sendo a PCR-kDNA que obteve os melhores resultados (66,26%). Adicionalmente, das 95 amostras positivas nas PCR-ITS-1 e HSP70-p4, conseguiu-se a identificação da espécie em 73,7% das amostras, com caracterização de cinco espécies diferentes: L. (V) braziensis (46,37%), L. (L) amazonensis (10,15%), L.(V) guyanensis (8,69%), L. (V) naiffi (1,45%), L. (V) lainsoni (1,45%) e 33,34% amostras apresentaram perfis indiferenciáveis entre L. (V) braziensis e L. (V) guyanensis. Na coleta de flebótomos, foram identificados 1863 espécimes. A espécie Lu. antunesi predominou em todo estudo, sendo encontrada em quatro das seis áreas avaliadas. Observou-se, em todas as localidades de coleta do estudo, a presença de no mínimo seis espécies vetoras incriminadas na transmissão das leishmanias. Conseguiu-se demonstrar, no estudo, que a PCR-kDNA é o melhor sistema para detecção da Leishmania em material de lâmina corada, contudo com sensibilidade inferior a observada ao parasitológico direto. E, que a maioria das áreas estudadas, nos três municípios, demonstrou risco de transmissão da LTA, devido a presença de espécies vetoras na fauna flebotomínica de importância médica associada a casos humanos de LTA.
Descrição: Tese apresentada ao Programa de Pós- Graduação: Doutorado em Biologia Experimental (PGBIOEXP) da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) como requisito final para a obtenção do título de Doutor em Biologia Experimental. Orientadora: Profa. Dra. Izaltina Silva Jardim
URI: http://hdl.handle.net/123456789/1820
Aparece nas coleções:Doutorado em Biologia Experimental / PVH -Teses

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Cesarino J.L. Aprígio.pdf4,33 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.