Use este identificador para citar ou criar um link para este item: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2069
Título: Estudo das bactérias redutoras de sulfato (BRS) envolvidas na metilação do mercúrio na UHE - Samuel (RO).
Autores: Mussy, Marilia Higino
Brucha, Gunther
Palavras-chave: microrganismos
PCR em tempo real
metilmercúrio
Reservatório.
Data de publicação: 2011
Citação: MUSSY, Marília Higino. Estudo das bactérias redutoras de sulfato (BRS) envolvidas na metilação do mercúrio na UHE - Samuel (RO). Dissertação (Mestrado ) Programa de Pós- Graduação- Mestrado em Desenvolvimento regional e meio ambiente (PGDRA) Universidade Federal de Rondônia (UNIR) 80 f. Porto Velho, 2011.
Resumo: O metilmercúrio (MeHg) é uma neurotoxina e tem a capacidade de bioacumular e biomagnificar tornando-se um risco à saúde humana. Embora os estudos apontem as Bactérias Redutoras de Sulfato (BRS) como principal grupo microbiano envolvido na formação do MeHg e uma vasta variedades de espécies desse grupo serem capazes de metilar o mercúrio em culturas de laboratório, pouco se sabe sobre quais as BRS provenientes de biomas brasileiros estão envolvidas na metilação do mercúrio. Este trabalho teve como objetivo analisar e identificar as bactérias redutoras de sulfato (BRS) existentes no sedimento e a sua capacidade em metilar o mercúrio, na área do reservatório da Usina Hidroelétrica de Samuel, (Porto Velho, RO). Foram coletadas amostras de sedimento e água da UHE – Samuel para análise de MeHg, Hg-T e sulfato da água. Parte do sedimento foi utilizado em meios de culturas de enriquecimento das BRS e posteriormente feitos os ensaios de metilação do mercúrio na concentração de 100 μg.L-1 com diferentes fontes de carbono (glicose, acetato de sódio, lactato de sódio) e um inibidor das BRS o molibdato de sódio. Nos ensaios de metilação foram avaliados as concentrações de sulfato, o crescimento bacteriano e as concentrações de Hg-T por espectrofotometria de absorção atômica por geração de vapor frio e MeHg por cromatografia gasosa acoplado ao espectrômetro de fluorescência atômica. Foi realizado também a extração e quantificação do DNA das BRS pela técnica do Real Time PCR utilizando os genes dsr1F e dsr4R. Durante os ensaios de enriquecimento as BRS apresentaram um consumo de sulfato de 9 %. A biomassa medida através dos sólidos totais voláteis apresentou um bom crescimento microbiano, indicando resistência à concentração de Hg adicionada ao meio de cultura. A melhor taxa de metilação ocorreu no 2º ensaio microbiano (0,35 %) nos tratamentos com as fontes de carbono lactato/acetato. Os controles sem fontes de carbono também apresentaram taxas de metilação de 0,28 %. A análise da produção de metilmercúrio através da técnica do mercúrio radioativo mostrou-se um pouco mais sensível na detecção do metilmercúrio formado do que a análise no CG-AFS apresentando uma tacha final de metilação de 1,02 %MeHg/L/72 horas nos ensaios com fonte de carbono. O PCR em tempo real demonstrou a presença das BRS nos experimentos e apresentou maior abundância das BRS nos controles do que nas fontes de carbono lactato/acetato. Apesar de a quantificação ter sido maior nos controles, a metilação do Hg foi maior no lactato/acetato demonstrando que as fontes de carbono são necessárias para que uma maior produção de metilmercúrio ocorra.
Descrição: Dissertação de Mestrado apresentada junto ao Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente. Área de concentração Meio Ambiente e Sustentabilidade, para a obtenção do título de Mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente.Orientador: Prof. Dr. Gunther Brucha
URI: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2069
Aparece nas coleções:PGDRA/PVH - Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação de mestrado - Marília Mussy.pdf1,5 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.