Use este identificador para citar ou criar um link para este item: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/828
Título: A natureza dos materiais lateríticos entre Porto Velho e Morrinhos: Relação morfológica e aplicação
Autores: Nascimento, Telma Cristina Nery
Palavras-chave: Geomorfologia
Laterito imaturo
Morfoescultura
Data de publicação: 2011
Citação: NASCIMENTO,Telma Cristina Nery. A natureza dos materiais lateríticos entre Porto Velho e Morrinhos: Relação morfológica e aplicação. Dissertação (Mestrado em Geografia). Programa de Pós- Graduação- Mestrado em Geografia da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) 79p. Porto Velho, 2011.
Resumo: Os materiais lateríticos que ocorrem entre Porto Velho e Morrinhos foram estudados visando a compreensão de sua natureza, relações com a evolução morfológica da área e sua utilização como matéria prima para construção civil. Os dados foram obtidos com fotointepretação, trabalhos de campo e análises granulométricas, mineralógicas e petrográficas. São materiais lateríticos ferruginosos e imaturos expondo-se em perfis incompletos. Como perfil estratigráfico esquemático regional de diferenciação supergênica é possível distinguir, do topo para base, o horizonte ferruginoso com suas zonas coesa e incoesa, bem como o horizonte argiloso com suas zonas argilosa vermelha e mosqueada. Quando coesos, configuram lateritos ricos em vênulas, poros, paleocondutos de raízes e pisólitos, com uma matriz microcristalina de hematita e goethita (> 95%) e traços de quartzo, plagioclásio e microclínio representantes de minerais reliquiares graníticos. A zona incoesa possui materiais predominando as frações seixo, grânulo e areia (~ 87%), envoltos em uma matriz argilosa (~ 13%). Os grãos com diâmetros maiores que 0,062 mm dos materiais da zona incoesa e do horizonte argiloso exibem uma tendência de enriquecimento de quartzo nas granulações mais finas, exceto nos tipos argilosos mosqueados. Seus perfis incompletos mostram importante influência na interpretação da gênese da paisagem geomorfológica, configurando relevos jovens colinosos e platôs para as exposições de laterito da zona coesa e deprimidos para as exposições de materiais da zona incoesa e do horizonte argiloso. Há evidências de atuação da neotectônica quaternária com anomalia localizada de relevo na zona coesa, em função de seu atual posicionamento em partes baixas da paisagem, junto ao nível de base, e por serem gerados como capeamento de cimeira. Em função da localização na área de expansão urbana de Porto Velho, os materiais lateríticos são de significativa importância na construção civil como materiais coesos (laterito), necessitando de britagem, e como materiais desagregados (zona incoesa). São de utilização imediata como material para pavimento de estradas e base e sub base de estrutura asfáltica. Os materiais argilosos principalmente da zona mosqueada que apresentam teores de argila superiores a 70%, são substâncias com potencial para serem empregadas como matéria prima de cerâmica, como telhas e tijolos.
Descrição: Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação: Mestrado em Geografia da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) como requisito final para a obtenção do título de Mestre em Geografia. Orientador: Prof. Dr. Vanderlei Maniesi.
URI: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/828
Aparece nas coleções:PPGG/PVH - Mestrado em Geografia (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Telma C. N. Nascimento_A natureza dos materiais lateríticos.pdf9,47 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.