Use este identificador para citar ou criar um link para este item: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2479
Título: Os Oronao: uma história de doenças e resistências a partir dos registros do SPI - 9ª I. R., Guajará-Mirim (1940-1970)
Autores: Chaves, Nágila Nerval
Palavras-chave: Povo Wari’
Contato interétnico
Doenças
Resistência
Documentos SPI
Data de publicação: 2017
Citação: CHAVES, Nágila Nerval. Os ORONAO: uma história de doenças e resistências a partir dos registros do SPI - 9ª I. R., Guajará-Mirim (1940-1970). Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação de História e Estudos Culturais (PPHEC) da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), 2017.
Resumo: Apresenta-se neste estudo sobre Os OroNao’: uma história de doenças e resistências a partir dos registros do SPI - 9ª I. R., Guajará-Mirim (1940-1970), as situações de doenças, mortandade e resistências vividos pelos Povos Indígenas Wari’, em especial, os subgrupos OroNao’ e OroNao’ dos brancos, no processo de contato interétnico com o não índio, no Território do Guaporé, Posto Ricardo Franco, nos anos de 1956 e 1961. Trata-se de uma pesquisa histórica e bibliográfica com abordagem qualitativa, utilizando o método da História Oral, e tem como objeto de estudo as consequências trazidas pelo contato desses subgrupos indígenas com os não indígenas nos postos de atração. Como objetivos relaciona-se, descreve-se e relata-se os tipos de doenças que o contato trouxe para os indígenas, as resistências expressas por eles e as situações de mortandade advindas do contato e das doenças. A discussão tem como base o conceito de fricção interétnica elaborado por Oliveira (1976) que permite mostrar as implicações do contato na identidade étnica, bem como, as doenças, a mortandade e a resistência, em decorrências das relações interétnicas do povo indígena Wari’, nos documentos do extinto Serviço de Proteção aos Índios e Trabalhadores Nacionais, (SPI), que desde a sua criação em 1910 cumpre a política de tutela e nacionalização dos povos indígenas. Para a atração dos indígenas criou-se os seguintes Postos de Atração Indígenas: P. I. A. Dr. Tanajura, atual Terra Indígena Pacaás-Novas, para onde levaram o primeiro subgrupo contatado, os OroNão’ do igarapé Dois Irmãos, em 1956, o P. I. A. Tenente Lira, atual Terra Indígena Igarapé Lage, onde ficaram os OroWaram, OroMon e OroWaramXijein, o P. I. A. Rio Negro Ocaia, acampamento Dom Rey e depois Barracão, onde ficaram a outra parte OroNao’, OroEo e OroAt, o P. I. A. Major Amarante, atual Terra Indígena Ribeirão, para onde levaram os OroMon e OroWaramXijein em 1961 e o Posto de atração Ricardo Franco, criado antes, em 1945, produtor dos documentos administrativos utilizados na pesquisa: ofícios, boletins de atividades, inventários, telegramas e atestados de falecimentos, que indicaram as doenças que mais acometeram os indígenas nessas décadas: em primeiro lugar gripe (influenzae), em segundo lugar malária (Impaludismo-protozoário gênero Plamodium), em terceiro lugar a tuberculose (Mycobacterium tuberculosis) e em quarto lugar o Sarampo (Morbili Vírus). Essas doenças e os massacres foram as causas da dizimação dos OroNao’, OraAt e OroEo, nessas décadas e em outras que se seguiram.
Descrição: Dissertação apresentada ao curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação de História e Estudos Culturais (PPHEC) da Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Orientador: Professora. Dra. Lilian Maria Moser.
URI: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2479
Aparece nas coleções:MHEC/PVH - Mestrado em História e Estudos Culturais (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.