Use este identificador para citar ou criar um link para este item: http://hdl.handle.net/123456789/972
Título: Influência do turismo para os pescadores artesanais nas comunidades de São Francisco do Guaporé e Costa Marques - RO
Autores: Freitas, Greice Leite de
Palavras-chave: Pesca Artesanal
Turismo
Uso múltiplo das águas
Data de publicação: 2014
Citação: FREITAS, Greice Leite de. Influência do turismo para os pescadores artesanais nas comunidades de São Francisco do Guaporé e Costa Marques - RO. 2014. 61 f. Monografia (Bacharelado em Engenharia de Pesca) - Fundação Universidade Federal de Rondônia, Presidente Médici, 2014.
Resumo: O turismo no Vale do Guaporé é fortemente reconhecido e movimenta toda uma economia e cultura local, estando presente em boa parte do ano, principalmente nos meses de menor incidência de chuva quando se formam os então bancos de areia, conhecidos na região como as praias. Em contrapartida a pesca artesanal sendo uma atividade tradicional e consagrada no Estado de Rondônia desempenha papel social significativo para a economia, cultura, meio ambiente e soberania alimentar dos contextos populares do Vale do Guaporé. Logo, o objetivo do presente estudo foi identificar as áreas no rio Guaporé de maior influência do turismo analisando sua interferência no cotidiano dos pescadores artesanais. Por meio de uma abordagem plural, associando a pesquisa-ação participativa com a etnografia, integrando instrumentos, tais como: entrevistas semiestruturadas, oficinas participativas de diagnóstico e observação direta, foi realizada pesquisa com os pescadores associados às colônias Z-4 de Costa Marques e Z-10 de São Francisco, onde foram entrevistados 70% deles. Pode-se observar que durante os meses de agosto e meados de outubro há uma intensificação do turismo na região devido à baixa da água do rio pela seca, onde se formam grandes praias de água doce atraindo centenas de visitantes devido à realização de eventos. Porém, com a chegada do grande fluxo de turistas durante esse período do ano no Vale do Guaporé o movimento no rio aumenta, devido à introdução de grandes embarcações e barcos com motores potentes, acarretando erosão e consequentemente assoreamento no leito do rio. Além disso, o barulho dos motores afugenta os peixes, fazendo com que o pescador artesanal tenha que percorrer uma distância maior para atingir a produção desejada. Tais atividades põem em risco a manutenção do ambiente natural e dos valores da comunidade de pescadores. Os dados também evidenciam um grande descaso devido à falta de conscientização dos visitantes. O rio Guaporé é a principal fonte de renda para as comunidades pesqueiras da região, as quais são beneficiadas com o grande número de espécies existentes no lugar. Portanto, partindo de tal realidade atribui-se a toda comunidade e aos governantes o desafio de criar condições favoráveis para o desenvolvimento e crescimento sustentável do turismo e da pesca artesanal no Vale do Guaporé, ou seja, do uso múltiplo das águas, gerando melhorias sociais e ambientais visando primeiramente à cultura e as atividades realizadas ao longo da história local.
Descrição: Monografia apresentada ao Departamento de Engenharia de Pesca, Fundação Universidade Federal de Rondônia – UNIR, Campus de Presidente Médici, como parte dos requisitos para obtenção do título de Bacharel em Engenharia de Pesca. Orientadora: Prof.ª Dra. Eliane Silva Leite
URI: http://hdl.handle.net/123456789/972
Aparece nas coleções:DEPESCA/PM. Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FREITAS, Greice L. de..pdfFREITAS, Greice L. de.3,26 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.